• Filipe da Silveira, Fisioterapeuta

O equilíbrio no idoso


A capacidade do indivíduo em manter-se na posição ereta, corrigindo de maneira eficaz os movimentos do corpo e reagindo a estímulos externos, representam estratégias de controle postural essenciais para as atividades realizadas no cotidiano para a população idosa.

Até 30% dos idosos após os 65 anos apresentam alterações do equilíbrio e postura, com piora progressiva com o passar dos anos. Na maioria dos casos, a falta de equilíbrio não pode ser atribuída a uma causa específica, mas sim a um comprometimento do sistema de equilíbrio como um todo.

Com o envelhecimento, o sistema musculoesquelético tem sua capacidade reduzida, havendo perda de massa e força muscular, além disso, ele é afetado também por alterações do sistema nervoso e cardiopulmonar.

O envelhecimento compromete a habilidade do sistema nervoso central em realizar o processamento dos sinais vestibulares, visuais e proprioceptivos responsáveis pela manutenção do equilíbrio corporal, bem como diminui a capacidade de modificações dos reflexos adaptativos. Além disso, o sistema musculoesquelético também tem sua capacidade reduzida, havendo perda de massa e força muscular, afetando o sistema cardiopulmonar.

A diminuição da capacidade aeróbica e dos níveis de atividade física podem causar alterações do padrão de marcha e do equilíbrio, com consequente aumento da predisposição a quedas e comprometimento da capacidade funcional do idoso. Medidas de avaliação do desempenho físico, como o equilíbrio postural e a capacidade aeróbica, são importantes indicadores de saúde e foram reportados na literatura como significativos preditores de incapacidade física e dependência nas pessoas idosas.

Avaliação na Fisioterapia

Na prática fisioterapêutica, alguns testes podem ser utilizados para a avaliação do equilíbrio postural e da capacidade aeróbica, além de avaliar o desempenho funcional, todos com o objetivo de determinar como os déficits específicos afetam a função global do indivíduo na execução das atividades cotidianas.

E o que fazer?

Qualquer atividade física na qual o idoso está apto a realizar será bem vinda. Desde uma caminhada simples até um exercício mais complexo, fará com que o idoso mantenha seu equilíbrio, força e consciência corporal. Pilates, yôga, Tai Chi Chuan são práticas que estimulam muito a manutenção do equilíbrio. Aos que necessitam de uma atenção especial ou que possuem alguma disfunção neurológica, o acompanhamento com fisioterapeuta torna-se indispensável.

#fisioterapia #idoso #fisioterapiaparaidoso #equilíbrio #quedas #avc #fisioterapiasãojosésc

96 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo